É comum os empresários se depararem com a dúvida no momento de adquirir um bem: é melhor comprar ou alugar? Aqui vamos avaliar as vantagens e desvantagens de cada opção e listar os itens necessários para o cálculo do menor custo para a Empresa.

OPÇÃO ALUGAR:

VANTAGENS

-Utilização em contratos temporários, quando o bem não será necessário após o término do contrato;

-Manutenção por conta da locadora, inclusive com reposição em caso de quebra, evitando o prejuízo com equipamentos obsoletos;

-Utilização de equipamentos de ponta colocados à disposição pelas locadoras, o que pode contribuir para o aumento da produtividade da empresa em função dos avanços tecnológicos;

-Acesso a uma variedade de modelos, sem precisar fazer estoque.

DESVANTAGENS

-Elevação dos custos fixos, nos casos de atrasos da mensalidade, com o pagamento das multas contratuais;

-Custos elevados de locação;

-Falta de propriedade do bem. Ao final do contrato o bem não fica na empresa.

OPÇÃO COMPRAR:

VANTAGENS

-Aquisição de um bem novo, voltado para as necessidades da empresa;

-Preços e opções de parcelamentos atrativos com valores semelhantes às mensalidades do aluguel, gerando maior rentabilidade para a empresa;

-A máquina ou equipamento passa a ser um patrimônio da empresa, e tem um valor de venda caso seja necessário ou conveniente se desfazer do bem;

-Não há custo mensal fixo, o que representa uma grande vantagem em períodos de baixa demanda.

DESVANTAGENS

-Gastos elevados para adquirir o bem, que não se esgotam após o pagamento final, visto que ainda tem os custos de manutenção, reparos, inspeções, logística e armazenamento;

-Despesas com a depreciação do bem, em função do desgaste com o tempo de uso, ou mesmo se o bem ficou obsoleto;

-Falta de cuidado por parte dos colaboradores, que podem reduzir o tempo de vida útil do bem e aumentar as despesas com a depreciação e manutenção.

Então, na hora de decidir se vai se locar ou comprar um equipamento, é necessário analisar o momento da empresa (início das atividades, expansão, reforma), fazer uma avaliação de riscos e considerar os efeitos a longo prazo, para determinar se a taxa de uso faz justiça ou não ao investimento na aquisição do bem.

E lógico, qualquer que seja a decisão a ser tomada, ela deve ser incluída no planejamento financeiro e orçamentário da empresa.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *